Ciclo de seminários com Hugh Lacey

Ocorrerá de 03 de março a 09 de junho de 2011, no Departamento de Filosofia da USP, o XXII Seminário Internacional de Filosofia e História da Ciência, com o professor Hugh Lacey, emérito do Swarthmore College, com o título “On the interaction between science and ethical and social values: completing the model of this interaction, and seven new theses“.

O filósofo, que já tem uma relação de quatro décadas com o Brasil, irá analisar em profundidade (em português), em 12 encontros, o tema que já vem estudando há décadas — o papel dos valores no conhecimento científico –, e apresentar os mais recentes desenvolvimentos em seu modelo filosófico de ciência. Entre os temas abordados, estarão: a crítica à tese da neutralidade da ciência, as noções de imparcialidade e objetividade científicas, a estrutura dos juízos de valor dos cientistas, a noção de progresso tecnocientífico, a noção de estratégia descontextualizada, o papel do pluralismo metodológico.

Lacey é autor de A linguagem do espaço e do tempo (Perspectiva), Valores e atividade científica I (Editora 34 / Scientiae Studia), A controvérsia sobre os transgênicos: Questões científicas e éticas (Idéias e Letras), Is science value-free? Values and scientific understanding (Routledge), Values and objectivity in science: The current controversy about transgenic crops (Lexington), Valores e atividade científica II (Editora 34 / Scientiae Studia), Psicologia experimental e natureza humana (NEL-UFSC).

O ciclo ocorrerá às quintas-feiras, no prédio de Filosofia e Ciências Sociais da USP, das 9:00 às 12:30. A programação completa, incluindo bibliografia e apêndices, pode ser consultada aqui. O evento é promovido pelo Projeto Temático Gênese e Significado da Tecnociência, com financiamento Fapesp, e tem o apoio da Associação Scientiae Studia.

Anúncios

Manifesto do Círculo de Viena online em castelhano

[ATUALIZADO EM 18/01/2013] Está disponível online uma excelente tradução castelhana integral de um clássico da filosofia da ciência do século XX: o Manifesto do Círculo de Viena ( cujo título completo é “A concepção científica do mundo: O Círculo de Viena” / “Wissenschaftliche Weltaufassung: Der Wiener Kreis”), texto assinado em 1929 por Hans Hahn, Otto Neurath e Rudolf Carnap. A tradução é do filósofo da ciência Pablo Lorenzano, e vem acompanhada de uma breve porém útil apresentação. Publicada na revista Redes (agora online), v. 9, n. 18, 2002, pp. 103-149. Links para outras traduções desse mesmo texto podem podem ser encontrados na Antologia de textos do meu site.

Ernan McMullin, 1924-2011

Morreu na última terça-feira, 08/02/2011, o grande filósofo da ciência (e também historiador da ciência) Ernan McMullin, da Universidade de Notre Dame. McMullin foi responsável por formar gerações de importantes filósofos da ciência. A sua produção é vasta, tanto na quantidade como na variedades dos temas estudados, sempre com profundidade e com insights originais. Nos anos 70, participou de uma importante debate com pensadores como Ronald Giere, Maurice Finnocchiaro e Richard Burian, nas páginas dos periódicos filosóficos, acerca da questão da relação entre história da ciência e filosofia da ciência. Escreveu Galileo, Man of Science (1967) e  Newton on Matter and Activity (1979), entre outros. Organizou volumes importantes como The Concept of Matter in Greek and Medieval Philosophy (1963), The Concept of Matter in Modern Philosophy (ed. rev. 1978), Construction and Constraint: The Shaping of Scientific Rationality (1988) e Philosophical Consequences of Quantum Theory: Reflections on Bell’s Theorem (co-editado com James Cushing, 1989). Um livro organizado em sua homenagem, com ensaios de importantes filósofos da ciência, foi editado por Gary Gutting, C. F. Delaney e James Cushing, e intitula-se Science and Reality: Essays in Honor of Ernan McMullin (1984). Recomendo fortemente um artigo de McMullin intitulado “The origins of the field concept in physics”, publicado na revista Physics in Perspective em 2002. Outro artigo importante que está disponível na Internet (com acesso livre) é “The impact of Newton’s Principia on the philosophy of science”, publicado na Philosophy of Science em 2001. McMullin, que era padre católico, também escreveu artigos sobre teologia e sobre a epistemologia da religião. Um panorama da sua vida e obra, preparado pelo filósofo da biologia Michael Ruse para o The Chronicle of Higher Education, está disponível na Internet.

Sobre o conceito de espécie em Biologia

Recuperando uma discussão que teve lugar na nossa aula de Filosofia da Ciência do dia 01/02, aqui estão algumas referências que discutem o estatuto metodológico, epistemológico e metafísico do conceito de espécie em Biologia. Lembro que esta é apenas uma pequena amostra da extensa literatura existente sobre o assunto. Preferi incluir aqui apenas referências que podem ser encontradas on-line e são de acesso livre.

CRACRAFT, Joel. “Species concepts and the ontology of evolution”. Biology and Philosophy, v. 2, pp. 329-346, 1987.

ERESHEFSKY, Marc. “Species”. In: ZALTA, E. M. (ed). The Stanford Encyclopedia of Philosophy.

GHISELIN, Michael T. “A radical solution to the species problem”. Systematic Zoology, v. 23, n. 4, pp. 536-544, 1974.

HEY, Jody. “A reduction of ‘species’ solves the species problem”. Preprint, 1997, 14 pp.

HEY, Jody. “On the failure of modern species concepts”. Trends in Ecology and Evolution, v. 21, n. 8, pp. 447-450, 2006.

HULL, David L. “The ontological status of species as evolutionary units”. In: BUTTS, Robert E. & HINTIKKA, Jaakko (eds). Foundational Problems in the Special Sciences, pp. 91-102. Dordrecht: D. Reidel, 1977. (No Google Books. Algumas páginas não estão disponíveis. O livro original existe, por exemplo, nas bibliotecas de Filosofia e de Matemática da USP.)

QUEIROZ, Kevin de. “Ernest Mayr and the modern concept of species”. Proceedings of the National Academy of Sciences of the USA, v. 102, n. suppl. 1, pp. 6600-6607, 2005.

QUEIROZ, Kevin de. “Phylogenetic definitions and taxonomic philosophy”. Biology and Philosophy, v. 7, pp. 295-313, 1992. (Outro link.)

QUEIROZ, Kevin de & DONOGHUE, Michael J. “Phylogenetic systematics and the species problem”. Cladistics, v. 4, pp. 317-338, 1988.

SOKAL, Robert R. & CROVELLO, Theodore J. “The biological species concept: A critical evaluation”. The American Naturalist, v. 104, n. 936, pp. 127-153, 1970.

STAMOS, D. N. The Species Problem, Biological Species, Ontology, and the Metaphysics of Biology. Lanham, MD / Oxford, UK: Lexington Books, 2003. (Disponível na Gigapedia.)