Hoje é o aniversário de Alexandre Koyré

Alexandre Koyré completaria hoje 120 anos. Mais conhecido como o autor do já clássico From the closed world to the infinte universe, de 1957, leitura obrigatória para toda gente que se interessa pela Revolução Astronômica dos séculos XVI-XVII e pela Revolução Científica do século XVII (bem como seus antecedentes renascentistas), o grande historiador da ciência e filósofo Koyré (1892-1964) também escreveu muitas outras obras.

Títulos como Études galiléennesThe Astronomical Revolution: Copernicus-Kepler-Borelli, Metaphysics and measurement: Essays in Scientific Revolution, Newtonian studies, Ensaios de história do pensamento científico e Ensaios de história do pensamento filosófico são coleções de ensaios que assombram, cada um deles individualmente, pelo fôlego, pela sutileza historiográfica, pela erudição e pela defesa coerente de uma determinada visão de cultura, ciência, pensamento e história.

Koyré pode talvez ser considerado um tanto “racionalista”, “intelectualista” ou “internalista” demais para o gosto, digamos, mais subjetivista, contingente e externalista da historiografia da ciência mais recente — assim como por certa historiografia mais empirista da primeira metade do século XX. Porém o certo é que, se olharmos para o plano conceitual do desenvolvimento da ciência, suas análises são incontornáveis, impossíveis de não se levar em conta, ainda hoje.

Parafraseando o que disse o crítico Antonio Candido por ocasião da morte do poeta João Cabral de Melo Neto, a obra de Koyré continuará proporcionando alimento, conforto e desafios para muitas gerações que ainda estão por vir.

Alguns textos de Koyré estão disponíveis através da Antologia de textos do meu site de Filosofia e História da Ciência: “O significado da síntese newtoniana”, “As etapas da cosmologia científica”, e (externo) dois capítulos de From the closed world to the infinite universe.

Revista Scientiae Studia em destaque

O Jornal da USP publicou (n. 970, 19 de agosto de 2012) uma matéria sobre periódicos acadêmicos brasileiros que dá destaque à Scientiae Studia – Revista Latino-Americana de Filosofia e História da Ciência (ISSN 1678-3166).

Esta é uma publicação classificada como Qualis A2 (disponível também no SciElo) que conta, tanto na comissão como no conselho editorial, com forte participação de docentes da UFABC (incluindo este seu criado).

Leia mais em http://espaber.uspnet.usp.br/jorusp/?p=24146

Ética e método na saúde – Unesp Rio Claro

Acontece em 02 de Outubro de 2012, na Unesp, Campus de Rio Claro, o II Seminário de Ciências Humanas e Sociais no Campo da Saúde, que tem por tema “Questões sobre a Ética e a Inocência do Método”. Inscrições gratuitas até 30 de Setembro. Confira a programação, que conta com conferências dos professores Hugh Lacey (Swarthmore College), Luiz Felipe Pondé (PUC-SP), Stélio Marras (IEB-USP) e José Carlos Rodrigues (PUC-RJ). A organização é dos Professores Rodolfo Franco Putini e e Leila Marrach de Albuquerque.

(Agradecemos à Profa. Ruth Galduroz pela informação.)

O poema de Mário Benedetti que serve de epígrafe ao site do Seminário merece ser reproduzido aqui:

“Por fim um crítico sagaz revelou
(eu já sabia que iam descobrir)
que nos meus contos sou parcial
e tangencialmente apela
que assuma a neutralidade
como qualquer intelectual que se respeite
creio que tem razão
sou parcial
disto não tem dúvida
mais ainda eu diria que um parcial irrecuperável
caso perdido enfim
já que por mais esforço que faça
nunca poderei chegar a ser neutral”
(Mario Benedetti. “Sou um caso perdido” In: Antolologia Poética, Record: Rio de Janeiro, 1970).

Petição pública pela reabertura das negociações

«Para que a Presidente da República, Dilma Rousseff, cumpra o que lhe compete ao abrir, de fato, as negociações com os docentes das Instituições Federais de Ensino Superior do Brasil, representados pelo Sindicato Nacional dos Docentes do Ensino Superior (ANDES-SN).»

http://www.avaaz.org/po/petition/Abertura_das_negociacoes_entre_o_governo_brasileiro_e_os_docentes_das_IFES_do_pais_representados_pelo_ANDESSN/

Fonte: Comando de Greve – Universidade Federal de Viçosa

Leia, assine, divulgue. Pense por um momento: A universidade pública brasileira pode ser muito melhor — redundando em benefício para você, para seus filhos, para a sociedade, a indústria, para o país, para a ciência, as humanidades, a cultura, e até para a imagem do Brasil no mundo.