Cento e vinte anos de redes: Da metáfora à estrutura

Aproxima-se o V Seminário de História e Filosofia da Ciência, que será realizado de 26 a 29 de Novembro de 2012 na Universidade Federal do ABC.

O texto que irei apresentar no dia 26 e que será debatido em mesa-redonda, intitulado Cento e vinte anos de redes: Da metáfora à estrutura, já se encontra online no site do evento, assim como os demais textos das sessões de discussão.

O texto que apresentei na edição anterior, o IV Seminário, realizado em 2010, Ilhéus, BA, intitulado “Estruturas conceituais e estratégias cognitivas em ciência: Modelos tipo I, modelos tipo II, analogias e correspondência”, também está online, assim como os outros textos discutidos naquele evento.

Uma versão revista e aperfeiçoada daquele texto foi publicada posteriormente com o título Estruturas conceituais e estratégias de investigação: Modelos representacionais e instanciais, analogias e correspondência no vol. 9, n. 3, 2011, da Revista Scientiae Studia.

À esquerda, o cartaz do V Seminário de HFC, já destacado anteriormente neste blog.

Falta um mês para o Encontro Estruturalista

De 22 a 26 de Outubro de 2012 irei participar do VIII Encuentro Iberoamericano sobre Metateoría Estructuralista, na Universidad Autónoma Metropolitana, na Cidade do México. Apresentarei o trabalho intitulado “A rede teórica estruturalista dos modelos filosóficos de racionalidade científica: Um esboço”, resultado da fusão de duas linhas de pesquisa em que venho trabalhando nos últimos anos, o estudo da racionalidade científica sob uma perspectiva filosófica, e a metateoria estruturalista (proposta por Balzer, Moulines, Sneed e outros) como ferramenta de análise e reconstrução de sistemas conceituais. Os Encontros Estruturalistas têm sido um dos principais fóruns internacionais para o desenvolvimento, a reflexão crítica e a aplicação da metateoria estruturalista, cujo eixo principal, nos últimos anos, tem estado entre a Alemanha, a Península Ibérica e a América Latina.

Kuhn sob as perspectivas estruturalista e laudaniana

Está no prelo o meu artigo “Valores e incomensurabilidade: Meditações kuhnianas em chave estruturalista e laudaniana”, a aparecer na revista Scientiae Studia, v. 10, n. 3, 2012 — número temático a propósito dos 50 anos de publicação da Estrutura das revoluções científicas — no qual faço uma colocação em perspectiva e uma reinterpretação das teses de Thomas Kuhn sobre a incomensurabilidade e sobre o papel dos valores na ciência.

As várias formas de variância axiológica e metodológica, e as várias formulações que a tese da incomensurabilidade recebe nos textos de Kuhn, são mapeadas no artigo. A incomensurabilidade semântica é analisada em detalhe, ao longo das diferentes fases do pensamento de Kuhn, e a metáfora das “mudanças de mundo” é colocada em questão. Uma forma adicional de incomensurabilidade que, sustento, está latente no sistema de pensamento de Kuhn, porém até agora não havia recebido a devida atenção, é também apresentada no texto.

Aplico as perspectivas de Larry Laudan (tanto de problem-solving quanto reticulacional) e estruturalista como ferramentas que permitem delimitar o escopo das diversas formas de variância presentes na imagem de ciência de Kuhn, estabelecer os seus limites, e resgatar o lugar da metodologia científica e a possibilidade de progresso. Em particular, o estruturalismo metateórico permite formular precisamente uma maneira de se contornar a incomensurabilidade — uma idéia que fora de algum modo sugerida informalmente por alguns intérpretes de Kuhn, porém ainda de maneira incompleta, e que não se encaixava de forma coerente no seu sistema de pensamento.

A reinterpretação que proponho no artigo tenciona desarmar as consequências relativistas da imagem de ciência de Kuhn, especificamente, no que diz respeito aos aspectos “valores” e “incomensurabilidade”. Isso abre um caminho para se resgatar a preponderância da problem-solving de uma maneira mais plena na concepção kuhniana de ciência – problem-solving que fora anunciada com alarde pelo próprio Kuhn, com seu discurso sobre a “puzzle-solving” científica, na parte inicial da Estrutura, apenas para se ver depois submersa debaixo de variados mecanismos, metáforas e “armadilhas” que tiveram o efeito de bloqueá-la por completo como categoria racional.

Este artigo faz parte de uma série maior, formada por mais dois artigos sobre outros aspectos da imagem de ciência kuhniana, explorando as perspectivas que se abrem a partir dela, bem como os limites dessa imagem. Nesta série, cuja publicação deve se estender por 2012-2013, procuro fazer, enfim, um balanço do legado de Kuhn para a filosofia da ciência do final do XX e início do XXI.

Colóquio História e Filosofia da Ciência na Unifesp

Foto: Wilson Hurst

Acontece nos dias 07, 08 e 09/12/2011 (4a, 5a e 6a feira próximas), o Colóquio História e Filosofia da Ciência da Unifesp, com a presença de pesquisadores da UESC, USP, UFABC e da Unifesp, além de convidados internacionais como Michel Paty, Silvia Manzo e José Díez. Irei participar apresentando o trabalho “Anotações para uma reconstrução estruturalista dos modelos filosóficos de racionalidade científica“. A programação completa está disponível aqui. O evento é promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Unifesp.

Local: auditórios do Campus Vila Mariana / Escola Paulista de Enfermagem da Unifesp (r. Napoleão de Barros e R. Borges Lagoa).

Horário: 07/12 – das 10h00 às 17h00; 08/12 – das 14h00 às 17h00; 09/12 – das 09h00 às 17h00.

Saiu o número 2 de Metatheoria

Acaba de ser publicado o número 2 do volume 1 da revista Metatheoria – Revista de Filosofía e Historia de la Ciencia, contendo artigos sobre a vertente da filosofia contemporânea da ciência conhecida como metateoria estruturalista.

O novo número inclui textos de expoentes dessa corrente, dentro do panorama internacional, como Carlos Ulises Moulines e Joseph D. Sneed — este, apresentando um trabalho de fôlego, no qual lança os “prolegômenos” a uma reconstrução estruturalista da mecânica quântica. (Numerosas teorias científicas, tanto da física como de variadas áreas, e de diferentes épocas da história da ciência, já foram objeto de reconstruções de tipo estruturalista.)

A revista, criada em 2010, opera no sistema de acesso livre e texto completo online. Veja o sumário do número 2, do número 1 e as informações sobre expediente, política editorial e instruções para autores.

Seminário sobre metateoria estruturalista começa neste dia 7

Lembrete: Começa a amanhã, 07/10/2011, o XXIII Seminário Internacional de Filosofia e História da Ciência, com o Prof. Pablo Lorenzano (Univ. Quilmes), já noticiado anteriormente neste blog. O título do ciclo é “Temas clásicos de filosofia de la ciencia a la luz de las concepciones semânticas de la teorías“.

Em oito encontros, o Prof. Lorenzano (editor da revista Metatheoría, à qual pertence também o autor deste blog)  irá apresentar em detalhe uma vertente de destaque dentro da filosofia contemporânea da ciência, que são os chamados enfoques semânticos ou modelo-teóricos, concentrando-se em um programa de pesquisa específico dentro dessa vertente, que é a metateoria estruturalista.

As reuniões ocorrerão sempre às sextas-feiras pela manhã, durante os meses de Outubro e Novembro de 2011, no prédio de Filosofia e Ciências Sociais da USP. A programação completa pode ser consultada aqui e o cartaz do evento aqui. Como em todos os seminários anteriores, serão conferidos certificados aos participantes com frequência.

Esta é uma atividade do Projeto Temático Fapesp “Gênese e significado da tecnociência”, da Associação Scientiae Studia (aos quais estou ligado) e do Departmento de Filosofia da USP. Maiores informações podem ser obtidas com a secretaria da Associação (e-mail: secretaria@scientiaestudia.org.br) e com o Departamento (fone (11)3091-3761).

Entrevista com Pablo Lorenzano

Lorenzano em sua residência. Foto: Rafael Yohai

Foto: Rafael Yohai

O filósofo da ciência Pablo Lorenzano, da Universidade Nacional de Quilmes — cuja especialidade é a filosofia da biologia — concedeu uma interessante entrevista ao jornal argentino Página/12, intitulada “Pensando en la Biología”.

Lorenzano estará  no Brasil nos meses de Outubro e Novembro de 2011, ministrando um ciclo de seminários no Departamento de Filosofia da USP. Nesse período ele também fará uma conferência na Universidade Federal do ABC. Maiores detalhes serão postados em breve aqui no blog.

Ele é co-organizador de Desarrollos actuales de la metateoría estructuralista: Problemas y discusiones (volume cujo esplêndido ensaio introdutório está disponível online), e autor de Geschichte und Struktur der klassichen Genetik (História e estrutura da genética clássica). Dois artigos bem representativos do seu estilo filosófico são “Leyes fundamentales y leyes de la biología” (2007) e “Inconmensurabilidad teórica y comparabilidad empírica: El caso de la genética clásica” (2008). O seu blog disponibiliza textos valiosos: a visita é altamente recomendada.