Mais imagens do V Seminário

Abaixo, no centro, Élika Takimoto (CEFET e UERJ); em segundo plano, da esquerda para a dieita: Érico Andrade (UFPE), Maurício Ramos (USP), César Battisti (UNIOESTE) e Marisa Donatelli (UESC).

DSC_1551b

Abaixo, em primeiro plano, Renato Kinouchi (UFABC). Na parte central da imagem, da esquerda para a direita, Olival Freire, Marisa Donatelli, Letícia Alabi (Mestranda – UFABC), Érico Andrade. No fundo à esquerda, Marcelo Moschetti, Daniela Rozados e Taimara Passero (parcialmente encobertas), e mais acima à direita, Fernando Matos (UFABC).

DSC_1593b

Eduardo Barra (UFPR):

DSC_1507b

Abaixo, Olival Freire escuta a questão de Marcelo Pires (UFABC, na 5a. fila à esquerda):

DSC_1648b

Imagens do quarto dia do V Seminário

Olival Freire Jr. (UFBA) apresentou a conferência de encerramento, baseada em seu trabalho com Ileana Greca, “Meeting the challenge: quantum physics in introductory physics courses”:

DSC_1640b

Maurício Ramos (USP) apresentou seu trabalho em epistemologia histórica da biologia, “Goodsir e Bütschli: centros celulares nutritivos e espumas microsópicas” (abaixo).

DSC_1592b

Ramos também comentou o trabalho apresentado por Marcos Barbosa de Oliveira (FE-USP), “Sobre a mercantilização da ciência: a dimensão administrativa” (abaixo).

DSC_1603b

Abaixo, em primeiro plano, da esquerda para a direita: Maria Cecília L. G. dos Reis (UFABC), Olival Freire Jr, Marisa Donatelli (UESC) e Paulo Tadeu da Silva (UFABC).

DSC_1619b

Imagens do terceiro dia do V Seminário

Acima: Érico Andrade (UFPE) e Eduardo Barra (UFPR).

Acima, ao centro: Prof. Bruno Nadai (UFABC), tendo à esquerda Luís Geraldo G. da Silva e Joan Burton (Mestrandos UFABC).

Acima: Daniela Rozados (Posdoc – USP).

Acima: Michele Alves da Silva e Lígia Lopes Gomes (Mestrandas UFABC).

Acima: público da sessão de comunicações.

Primeiro dia do V Seminário

Algumas imagens do primeiro dia do V Seminário de História e Filosofia da Ciência, que ocorre na UFABC até o dia 29/11.

(1) Conferência de abertura: Nicholas Lechopier (Lyon 1) – “Reciprocidade nas comunidades epistêmicas: Lições de uma parceria de pesquisa de saúde ambiental concernentes à dimensão coletiva da ciência“.

(2) Visão do público do evento:

(3) Mesa redonda sobre Descartes: Marisa Donatelli (UESC, Ilhéus, BA) e Pablo Mariconda (USP, São Paulo, SP):

Steven Shapin no 13o. SNHCT, na USP

Na semana de 3 a 6 de Setembro de 2012, no 13o. Seminário Nacional de História da Ciência e da Tecnologia, realizado na USP, a conferência de abertura, na segunda-feira à noite, foi do Prof. Steven Shapin, da Universidade de Harvard.

Autor (com Simon Schaffer) do já clássico Leviathan and the air-pump: Hobbes, Boyle and the experimental life (Princeton Univ. Press, 1985) — um estudo de caso na perspectiva do modelo causal-simétrico em sociologia da ciência (também chamado de “strong programme”, o “programa forte”) — Shapin irá ter o seu mais recente livro, Never Pure:  Historical Studies of Science as if It Was Produced by People with Bodies, Situated in Time, Space, Culture, and Society, and Struggling for Credibility and Authority (Johns Hopkins Univ. Press, 2010), publicado no Brasil até o final de 2012, pela editora Fino Traço e EDUEPB.

Na conferência do dia 03/09, Shapin falou sobre a questão da identidade do cientista — de como essa identidade, tanto a socialmente percebida quanto a auto-imagem — passou por transformações profundas entre o século XIX e o início do XXI. Ele tem uma dicção excelente, diga-se de passagem, o que tornou bem fácil acompanhar o seu inglês.

No Programa de Pós-Graduação em Ensino, História e Filosofia das Ciências e Matemática, trabalhei com uma de minhas orientandas o livro de Shapin sobre Boyle e Hobbes, e pudemos apreciar a diferença que se estabelece entre uma metaciência com pretensão descritiva e explicativa (programa “forte”) e uma metaciência filosófica e normativa (Hugh Lacey).

A qualidade das fotos nesta página (tiradas no anfiteatro de História da USP) não está grande coisa — eu estava sem um aparelho bom naquela ocasião — mas serve como registro. Parabéns à Sociedade Brasileira de História da Ciência pela organização do evento, que foi um sucesso.

Revista Scientiae Studia em destaque

O Jornal da USP publicou (n. 970, 19 de agosto de 2012) uma matéria sobre periódicos acadêmicos brasileiros que dá destaque à Scientiae Studia – Revista Latino-Americana de Filosofia e História da Ciência (ISSN 1678-3166).

Esta é uma publicação classificada como Qualis A2 (disponível também no SciElo) que conta, tanto na comissão como no conselho editorial, com forte participação de docentes da UFABC (incluindo este seu criado).

Leia mais em http://espaber.uspnet.usp.br/jorusp/?p=24146